Tecnologias na Educação à Distância 09:23

Tecnologias na Educação a Distância



Os cursos por correspondência foram majoritários durante mais de um século. Era a tecnologia mais viável economicamente para atender a alunos isolados e de forma individual. Essa realidade mudou drasticamente nos últimos vinte anos. As redes trazem uma interatividade e aproximação entre professores e alunos na EAD que antes ficava comprometida pelas dificuldades técnicas. O ser humano uma vez acostumado a um patamar de interatividade maior, dificilmente suporta um modelo em que há um distanciamento físico tão forte como ocorre no ensino por correspondência. Toda a educação, não só a específica a distância, caminha para uma utilização intensiva de tecnologias, de atividades a distância, mesmo nos cursos presenciais, com maior interação.
Todas as tecnologias podem ser utilizadas, principalmente de forma combinada. Os modelos que mostram o professor – como os da teleaula – conseguem atrair muitos alunos porque reforçam o papel do professor a que os alunos estão acostumados. Mas nenhum curso de longa duração utiliza uma única tecnologia. Tele ou videoaulas se combinam com atividades em ambientes virtuais, que podem ser acessadas através de qualquer aparelho que se conecte com a Internet. Recursos mais tradicionais como a TV e o Rádio tem um espaço grande para crescer. O público gosta e está acostumado a esses meios. Nos falta hoje uma política de incentivo à TV, com apoio de outras mídias. Passamos muito rapidamente das mídias tradicionais às digitais (Internet), sem fazer uma integração maior. Países como a China e a Índia utilizam de forma intensiva a televisão, com milhões de alunos. O Brasil deu as costas para a TV e o rádio, tão populares no dia a dia.
O avanço impressionante de computadores e tablets está personalizando claramente o processo de aprendizagem. Não podemos dar o mesmo conteúdo e atividades para todos, no mesmo ritmo. Os alunos querem ser tratados de forma mais individualizada. Caminhamos de uma EAD mais industrial, massiva, de produto pronto, igual para todos para modelos bem mais flexíveis, que combinam o melhor do percursos individual com momentos de aprendizagem em grupo, de colaboração intensa.As tecnologias WEB 2.0, gratuitas e colaborativas facilitam a aprendizagem entre colegas, próximos e distantes. Tudo caminha para ser mais aberto, ágil, intuitivo (touchscreen ou telas sensíveis ao toque, como nos tablets). Falta no Brasil melhorar os preços destes equipamentos (essa perspectiva é próxima) e melhorar a banda larga (ainda falta muito).

                                                     Autor: Prof. Jose Manoel Moram

Tecnologias e Educação - EAD e AVAs 15:09

A partir dos avanços tecnológicos, novas formas de comportamentos pessoais e sociais têm surgido e isto é notório se forem observadas as novas formas de pensar, de agir e de se relacionar através da comunicação. O grande desafio do homem do século XXI é lidar com esta pluralidade.
As novas tecnologias estão presentes no cotidiano de todos os indivíduos, trazendo uma diversidade de novas relações com o conhecimento que a denominada era da informação exige de todos, inclusive, vale destacar a sua importância no contexto diário educacional. A revolução das TICS trouxe a possibilidade para estudantes e professores terem acesso às pesquisas “inter”, “trans” e multidisciplinares e contato com grandes pesquisadores das diversas áreas de conhecimento do seu interesse. Proporciona também a troca de saberes e experiências que, segundo Pierre Levy, é denominado de Inteligência Coletiva dentro deste espaço interminável de informações, um ambiente político, social e cultural, o ciberespaço, um ecossistema de idéias. É o conhecimento e o saber ao alcance de todos, em qualquer tempo ou lugar, livre dos detentores que o monopolizavam para o seu deleite, em detrimento de muitos que não tinham fácil acesso.
As TICS propiciaram um meio de reformular as relações entre alunos e professores, bem assim a relação entre a escola e a comunidade, revolucionando os processos e metodologias de aprendizagem, permitindo à escola um novo contato entre as pessoas e com o mundo. Sendo assim o professor não será apenas um propagador do conhecimento como tem sido, mas um mediador, incentivador e gestor proporcionando uma troca no campo do saber. Esta troca é feita através da utilização dos ambientes disponíveis, tais como: lista de discussão, chat, fóruns, blogs, orkuts, msn, entre outros, pois permitem a troca em tempo real. Todavia toda esta mudança resulta em uma busca do professor a uma melhor qualificação, aperfeiçoamento e atualização do conhecimento, pois se não souber manipular ou analisar a informação ficará á margem das novas mudanças, que são dinâmicas.
A Internet tem muito a acrescentar à educação, inclusive, constituindo-se como um meio de grandes possibilidades pedagógicas, contribui para uma educação global, onde os trabalhos de pesquisa podem ser compartilhados entre alunos e professores e divulgados em tempo real na rede para uma diversidade de pessoas.
Quanto ao papel do professor, continuará sendo importante na articulação entre as informações e os alunos, só que de uma forma dinâmica e interativa, com muita reflexão e discussão conforme o momento e o avanço tecnológico global.
A educação é um processo que se constrói a partir da interação entre as diferenças e é o que a internet proporciona atingindo as diversidades globais de natureza cultural, econômica, social e política.
Segundo Pierre Levy, numa conferência em São Paulo, 29/08/08, “O ciberespaço é a principal fonte para a criação de idéias, de forma que elas sejam usadas para o bem de todos, através da cooperação intelectual”. Dentro deste vasto espaço virtual temos os “Ambientes Virtuais de Aprendizagem” ou “AVA”s, um caminho importante para a formação de novos conhecimentos e da cidadania, proporcionando o desenvolvimento de uma consciência ética, solidária e comprometida com a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.
São ambientes que promovem desenvolvimento e aprendizagem através do ciberespaço e oferecem diversos meios para busca do conhecimento, vencendo a barreira do tempo e espaço. É o exemplo da “EAD” (Ensino a Distância) e sua proposta de levar o conhecimento e o saber em qualquer tempo e em qualquer lugar.
Em vista disso utilizando os vários recursos dos ambientes virtuais integrados aos saberes, alunos e professores, vão construindo coletivamente a rede de aprendizado.
Saiba mais....


Fonte: Desafios com Arte



Comemorações - 10 Anos de NTE 19:28

Brasil cria projetor multimídia com PC para escolas. 13:52


"Durante a primeira edição do Intel Connecting ,que ocorreu ontem aqui em Sampa, a empresa montou um pequeno showcase com diversos exemplos de produtos pensados literalmente fora da caixa (do desktop). Para mim, um dos mais interessantes foi o Projetor ProInfo — um projetor multimídia especialmente voltado para uso em escolas públicas e o mais legal: ele já vem com computador integrado e foi totalmente desenvolvido no Brasil (uia!)
O projetor nasceu dentro do MEC/SEED — ou mais exatamente da cabeça do secretário de Educação a Distância do MEC, Sr. Carlos Educardo Bielschowsky — que teve a idéia de criar um projetor multimídia para uso em salas escolares que fosse de uso simples, prático e acessível (não custar mais do que R$ 2 mil por unidade) e que dispensasse o uso de computador.
Esse conceito foi patenteado pelo governo e a proposta foi levada para o pessoal do Centro de Convergência Digital (CCD) da Fundação Certi da UFSC, que desenvolveu diversos protótipos até chegar na versão acima: Trata-se de um projetor DLP de 2.500 ANSI lumens (2.000 no modo econômico) já equipado com teclado, leitor de CD/DVD, duas portas USB e um mini-mouse que fica guardado dentro de um curioso compartimento dentro do próprio aparelho. Segundo Marcelo Otte, um dos diretores do Certi, optou-se pelo uso da tecnologia LCD porque ela é mais adequada para projetar grandes imagens de boa qualidade mesmo em ambientes bem iluminados, o que ainda não é possível de fazer com a tecnologia LED teoricamente mais compacta e durável.
A beleza desse projeto está nos pequenos detalhes. Por exemplo: ele foi feito para ser montado até sobre uma carteira direcionada para a lousa o mesmo para uma parede branca. O professor pode ficar ao lado do aparelho, permitindo assim que ele possa ficar de olho tanto na tela quanto na classe. Tanto a tomada quanto a porta de rede ficam na frente do projetor - já que a tomada fica normalmente posicionada na frente da classe. Note que o exaustor de ar também fica na frente, impedindo assim que algum aluno sentado atrás do equipamento fique quentinho.
Caso a escola não conte com porta de rede na sala de aula, o projetor dispõe de uma inteface Wi-Fi com anteninha dobrável e tudo: O que parecem ser dois bocais de foguete são na realidade, dois alto-falantes estéreo de 3 watts RMS por canal, totalizando 6 watts — potência notável se levarmos em consideração que os falantes de projetores de mercado mal ultrapassam 1 watt por canal. Eles são montados na parte de trás (em direção da classe) e que também podem ser usados pelo professor como amplificador de áudio para professores darem aulas sem forçar a voz ou mesmo usado em atividades extracurriculares como reuniões no pátio ou animar a festa da escola. Note o controle de volume localizado na parte de fora do aparelho, o que facilita o seu uso.
Uma das grandes sacadas desse produto é que ela utiliza uma placa-mãe genérica de mercado — uma Intel D945GCLF2 mini-ITX — que começou a ser produzindo recentemente por aqui pela Digitron. Trata-se de uma solução do tipo tudo-em-um já equipada como um processador dual core Atom 33o de 1,6 GHz e 1 GB de RAM, 4 GB de SSD e porta de rede Gigabit Ethernet e conexão Wi-Fi, provavelmente instalada na sua porta PCI.
Seguindo a política do governo, o sistema operacional usado no projetor ProInfo é uma versão do Ubuntu especialmente modificada pelo pessoal do CCD para a máxima facilidade de uso. Por exemplo, o professor pode plugar um memory key com uma apresentação ou inserir uma mídia em CD/DVD no aparelho e ligá-lo, o sistema identifica a presença do conteúdo e bota pra tocá-lo. Se o projetor tiver uma conexão com a Internet é possível acessar conteúdo remoto ou mesmo navegar pela web. O sistema também conta com um programa que monitora as condições do equipamento e seu uso, enviando essas informações para uma central de controle.
Como esse produto foi patenteado pelo MEC, a idéia é que seu projeto possa ser cedido para qualquer empresa interessada em fabricá-lo em escala industrial para uso educacional. Segundo o José Lacerda pesquisador da Fundação CERTI, esse produto já foi apresentado para diversos fabricantes locais e internacionais, já que a intenção do ministério é de abrir uma grande licitação pública em 2010 para a compra desse projetor em quantidade para ser distribuído nas escolas públicas.
Já existem 400 protótipos em testes em diversas escolas de todo País que estão sendo monitorados remotamente pelo CCD via Internet."
(Publicado por Mário Nagano em 02/12/2009)

Fotos da Capacitação com os Professores do EEB. Heriberto Hülse 19:32

Capacitação no EEB. Irmã Edviges 17:52

Filme: Sonho aos Ares 21:52

Atividade de reflexão baseada no vídeo "Sonho aos Ares" - Santos Dumont
Elabore um texto respondendo as perguntas:

  • Como a história abordada no vídeo pode ter relação com a evolução tecnológica em geral e com a informática em particular?
  • Em que esta evolução afetou as nossas vidas?
  • Como a informática pode modificar a sua vida profissional e particular?
  • Alguma vez você sentiu necessidade de acessar a internet?
  • Se sentiu, diga qual foi o motivo?

video

Filme: "Tecnologia e Metodologia" 16:13

video

Entre os Ritos e o Desejo de Mudança 16:06


De volta às aulas, recomeça o ciclo de um novo ano escolar com reuniões, calendários, aulas e avaliações previsíveis. Adoramos rituais, datas comemorativas, dias de festa. Gostamos dos calendários, dos ciclos, dos ritos de passagem, como as festas de quinze anos, de casamento; de ingresso e formatura da Faculdade. Vivemos uma tensão permanente entre a previsibilidade do rito e a emoção do novo, do diferente; entre o real vivido e o real imaginado. Os ritos nos acalmam e o diferente nos estimula.A educação está cheia de rituais: de entrada, de permanência e de saída. Dentro da nossa mente vive o conceito de semestralidade, o do período de aulas, as salas, os exames, o período de férias. Parece que sem eles não aprendemos de verdade.Ao mesmo tempo, essa previsibilidade nos sufoca, empobrece, banaliza. A busca pela novidade, pela mudança, pelo diferente atrai e assusta. Desejamos mudar, mas nos sentimos confortáveis nos modelos conhecidos, nos rituais sempre repetidos. Só quando esses rituais se tornam insuportáveis, incongruentes e antieconômicos é que o desejo de mudança começa a pesar mais e nos pressiona para novos caminhos.Parte das pessoas já está nessa fase de transição para outros modelos, já superou o medo da mudança. Uma outra boa parte ainda prefere, mesmo com ressalvas, manter-se na segurança dos ritos conhecidos. Apesar do desejo de mudança, a maioria permanece na previsibilidade do conhecido, no conforto do modelo já testado, no aconchego do ninho.Mesmo dentro de estruturas e ritos previsíveis, é importante a experimentar novidades, a arriscar experiências, a fazer atividades diferentes. A repetição sem inovação numa época de grandes mudanças é o melhor caminho para o empobrecimento, para o desânimo e para o fracasso.
Prof. Manoel Moran

3ª Etapa - Curso 40hs - "Introdução a Educação Digital" 16:33

Iniciamos 2009 uma nova fase de capacitação, com a proposta de dar continuidade aos projetos de Capacitação Proinfo - "Introdução a Educação Digital". Este Blog tem por objetivo promover ações de capacitação continuada que contribuam para a inclusão digital dos professores e alunos das escolas públicas e comunidade escolar em geral e dinamização e qualificação dos processos de ensino e de aprendizagem para melhorar a aprendizagem dos alunos, promovendo o desenvolvimento das competências, habilidades e conhecimentos esperados em cada nível/série (PCN).- Familiarizar o professor e demais atores da escola com a utilização de recursos básicos de computadores (Sistema Operacional Linux Educacional) e Internet.- Oferecer subsídios teórico – metodológicos - práticos para que os professores possam compreender o potencial pedagógico de recursos das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no ensino e na aprendizagem em suas escolas;
- Planejar estratégias de ensino e de aprendizagem, integrando recursos tecnológicos disponíveis e criando situações para a aprendizagem que dê oportunidades aos alunos à construção de conhecimento, à criatividade, ao trabalho colaborativo e resultem efetivamente num bom desempenho acadêmico;
- Utilizar as TICs nas estratégias docentes, promovendo situações de ensino que focalizem a aprendizagem dos alunos. E tem como principal meta atender a clientela de aproximadamente 220 professores e equipe técnica e pedagógica de escolas de Ensino Fundamental e Médio que atuam na Rede Pública Estadual.